quinta-feira, janeiro 18, 2007

Fundação


O telhado da casa
Mantém-se intacto
Como se cada pedra rolada
Não o tivesse abalado
Ou estivesse fundeado
Na cave

Como navio ancorado
Assim me mantenho
Erecta na vida
Como se cada sonho desfeito
Estivesse ainda preso
Da minha vontade

5 comentários:

Anónimo disse...

Gostei muito do contacto com as tuas palavras, é uma forma de estar em contacto contigo... como se pudesse tocar-te... através das palavras.

http://reserva2005.blogspot.com

zezilo disse...

Um sonho desfeito não é a negaçao para a ocorrencia de outros sonhos.. um barco fundeado não impede a existencia de uma frota navegando por mares eternos... e existem sempre os navios fantasmas e os triangulos das bermudas.

J

Anónimo disse...

No fundo existe sempre algo, mais suave mais doce, mais... digamos... que feliz por existir num mar delicioso onde luz e cor percorrem os teus sonhos...serás sempre...sabes isso...

António Rosa disse...

Depois de ter terminado com o "Postaias da Novalis" a 5 de Fevereiro, para me dedicar mais à astrologia, tenho aproveitado este tempo para desenvolver mais os conceitos evolutivos dos signos do zodíaco, como base elementar desta nossa reencarnação.

Aqui fica o convite para conhecer melhor o signo onde está o seu sol de nascimento, assim como o dos seus familiares e amigos.

Copie-os para o word, para melhor poder reflectir sobre o signo mais importante do seu zodíaco.

Agradeço comentários no sentido de melhorar os textos, aprofundando-os.

Um abraço,

António Rosa

Anónimo disse...

Fico feliz pelo facto de teres conseguido publicar algo tu bem o mereces... continua...o Nobel já esteve mais longe afinal.